O leite de vaca, que é usado para alimentar bebês quando não é possível fazê-lo através da amamentação, pode causar alergia a 3% das crianças durante os primeiros anos de vida. Portanto, a indústria de laticínios busca reduzir os alérgenos deste tipo de leite com vários procedimentos. Agora, uma nova investigação poderia resolver o problema, já que conseguiram criar uma vaca geneticamente modificada com o objetivo de produzir leite com baixo teor de beta-lactoglobulina (BLG), proteína responsável por alergias em crianças.

Eles criam uma vaca modificando seus genes para produzir leite com baixo teor de proteína responsável por alergias em crianças

A vaca, que é chamada 'Daisy', é o resultado do trabalho de uma equipe de pesquisadores do 'AgResearch Institute' na Nova Zelândia, que conseguiu reduzir a atividade de centenas de genes do animal sem eliminá-los completamente, uma técnica que poderia ser usada para controlar outras características do gado.

Outra vantagem oferecida por este leite de vaca é que ele é rico em caseínas - uma proteína que contém leite de vaca - o que o torna mais nutritivo do que o leite obtido de vacas comuns.

O leite de 'Daisy' está atualmente sendo analisado para confirmar propriedades hipoalergênicas, e depois terá que passar pelos controles habituais de segurança nutricional antes de poder ser comercializado para o consumo humano.

Bruce Whitelaw, professor de biotecnologia da Universidade de Edimburgo, acredita que o procedimento para modificar geneticamente animais de criação também poderia ser usado para melhorar sua defesa contra infecções.

No entanto, a pesquisa e seus resultados também têm detratores, e os ecologistas da Nova Zelândia afirmam que os experimentos realizados para criar Margarida constituem um ato de crueldade contra os animais e que, além disso, no leite novo uma proteína necessária foi eliminada para o desenvolvimento da vaca e do homem.

Doença do Carrapato - Sintomas, Tratamento e Prevenção (Setembro 2019).