Pela primeira vez no mundo, um grupo de médicos pertencentes ao serviço de ginecologia do Hospital Sant Joan de Déu, em Esplugues de Llobregat (Barcelona), conseguiu uma gravidez em uma mulher que havia sido submetida à remoção de ambos os ovários, como resultado da câncer

Os médicos conseguiram salvar uma pequena porção do tecido do ovário direito do paciente, que permaneceu congelado até o verão passado, a mulher de 31 anos expressou seu desejo de se tornar mãe e foi submetida a um auto-implante dos mesmos. tecido, ao qual foram adicionados fatores de crescimento, que foram obtidos do sangue do paciente, a fim de facilitar a revascularização.

É a primeira vez que uma gravidez é conseguida graças ao autotransplante de tecido ovariano em uma mulher que não tinha os dois ovários.

Quatro meses após a intervenção, a função ovariana foi restaurada e a mulher começou a gerar óvulos. Os médicos, então, começaram com o procedimento de fertilização in vitro, que culminou com a obtenção da gravidez.

Justo Callejo, chefe de Ginecologia de Sant Joan de Déu, declarou que esta é a primeira vez que uma gravidez é conseguida graças ao autotransplante de tecido ovariano em uma mulher que não tinha ambos os ovários, pois, em outros casos semelhantes, os pacientes mantiveram , parcialmente ou totalmente, pelo menos um dos ovários, embora a atividade dos ovários tenha sido afetada devido ao tratamento com quimioterapia ou radioterapia.

Segundo o especialista, o sucesso obtido com esse procedimento é uma esperança para todas as mulheres que extraíram o tecido ovariano, a fim de preservar sua fertilidade, antes de iniciar uma terapia para combater algum tipo de câncer.

Milagre - Bebê gerado fora do útero da mãe luta pela vida e sobrevive (Setembro 2019).