Uma nova variedade de maconha Ele contém apenas 1% do tetrahidrocanabinol (THC) - seu principal ingrediente ativo - poderia ser usado para aliviar os sintomas de pacientes com câncer ou esclerose múltipla, sem causar os efeitos colaterais desta droga. É um produto projetado para uso medicinal, que permite aproveitar as propriedades medicinais do canabidiol - o principal componente medicinal da cannabis - sem causar efeitos psicoativos aos pacientes.

A nova substância, chamada Avidekel, foi desenvolvida pela empresa Tikun OLAM, estabelecida em Israel, onde é proibido consumir maconha para fins recreativos, embora o uso de cannabis para fins terapêuticos seja permitido.

A nova maconha é cultivada em plantações autorizadas pelo governo israelense e é fornecida somente sob prescrição médica.

Os cientistas sabem há muito tempo e aceitam as propriedades medicinais da maconha, que já é usada para combater a náusea causada por tratamentos de quimioterapia ou para aliviar o desconforto muscular causado pela esclerose múltipla.

O novo produto, a partir do qual duas versões diferentes foram desenvolvidas (Avidekel e Rafael), cultivadas em plantações autorizadas pelo governo israelense - e monitoradas - e só são fornecidas sob receita médica, já foi utilizado por milhares de pessoas no país. País hebreu.

Ruth Gallily, uma das pesquisadoras que trabalha na empresa de marketing, explicou que essa variedade de maconha também mostrou uma grande capacidade antiinflamatória nos experimentos feitos com camundongos.

Como funciona a produção e a venda de maconha no Colorado (Setembro 2019).