A assistência no parto e o acompanhamento de toda a gestação por um parteira reduz o risco de complicações na gravidez e diminui a porcentagem de nascimentos prematuros e a necessidade de administrar anestesia peridural, realizar uma episiotomia ou usar instrumentos como pinças durante o parto.

Estas são as principais conclusões tiradas de uma revisão de 13 estudos - com dados de mais de 16.000 mulheres - realizados no Reino Unido por pesquisadores do King's College de Londres, e que foram publicados na The Cochrane Library.

Cinco dos estudos revisados ​​incluíram gestações com alto risco de complicações, enquanto os outros oito envolveram gestações de baixo risco. De acordo com os resultados da pesquisa, é mais benéfico para a mãe e seu bebê serem a parteira que acompanha a gravidez, do que o ginecologista ou o médico de família.

Mulheres atendidas por parteiras durante a gestação tiveram uma chance 23% menor de parto prematuro

Além disso, as mulheres atendidas por parteiras tiveram uma chance 19% menor de perder o bebê antes das 24 semanas de gestação, e 23% menos de parto pré-termo.

Os autores do estudo explicaram que os estudos incluíam apenas partos em hospitais e parteiras profissionais, e embora tenham recomendado que todas as mulheres grávidas tenham acesso aos serviços de uma parteira, eles acreditam que cuidados especiais devem ser tomados no paciente. caso de mulheres com complicações ginecológicas.

Benefícios do Parto de Lótus - Nascimento de Violeta Luz (Outubro 2019).