Com o objetivo de treinar os médicos de Atenção primária para que prescrevam aos seus pacientes a prática de atividade física como tratamento preventivo mais diante de inúmeras doenças e, principalmente, para evitar o aparecimento de distúrbios cardiovasculares, o Conselho Superior de Esportes (CSD), com a colaboração da Novartis e o apoio do Ministério da Saúde, desenvolveu um guia que ajudará esses médicos nessa missão.

As doenças cardiovasculares são a causa de três de dez mortes que ocorrem na Espanha e, em 65% dos casos, poderiam ser evitadas através da promoção de hábitos de vida saudáveis, como uma dieta balanceada ou esportes.

É necessário avaliar primeiramente as condições físicas do paciente e realizar alguns exames, determinar o grupo adequado às suas características e prescrever a atividade física mais adequada

O guia visa ajudar os médicos a recomendar a prática de exercícios levando em conta as características do paciente. É, como explicou o Dr. Fernando Gutiérrez Ortega, diretor do Centro de Medicina Esportiva, que o exercício é prescrito como qualquer outro tratamento, e o médico não se limita a simplesmente aconselhar seu paciente a se exercitar.

Esse especialista ressalta que é necessário avaliar primeiramente as condições físicas do paciente e, para tanto, devem verificar sua história clínica e história familiar, além de realizar testes que determinam a saúde cardiovascular. Com todos esses dados, você pode incluir o paciente no grupo mais adequado às suas características e já prescrever a atividade física mais adequada para ele.

Risco Cardiovascular e Exercício

O guia divide os pacientes em cinco grupos com base no risco cardiovascular, e o exercício recomendado pode consistir em um tempo de caminhada ou corrida, que pode ser combinado com exercícios de aptidão física isométrica ou isotônica.

Cada programa consiste em várias fases e o primeiro duraria 24 semanas. A freqüência e a duração dos exercícios seriam gradualmente ampliadas, dependendo da melhora experimentada pelo paciente.

O Dr. Gutiérrez Ortega adverte que o exercício físico também pode ter contra-indicações, como com drogas, e que é necessário ter o conselho de um profissional médico para determinar a intensidade e frequência com que o paciente realiza a atividade.

O especialista explica que, por exemplo, um paciente que sofre problemas articulares ou osteoartrite, não é aconselhável fazer uma corrida ou salto e, quando apropriado, a natação é muito mais apropriada, uma atividade que não é prejudicial às articulações. E ele acrescenta que também é importante dosar o esporte.

Fonte: EUROPA PRESS

MODELO DE OFÍCIO DE SOLICITAÇÃO (Setembro 2019).