Segundo dados da Sociedade Espanhola de Pediatria de Emergência, a incidência de bronquiolite aumentou 16% em 2009. A transmissão de vírus sincicial respiratório (RSV), que causa essa doença, tem sido facilitada pelas baixas temperaturas e pela chuva. Dr. Octavio Ramilo, diretor de Doenças Infecciosas no Hospital Infantil Nationwide de Columbus, e professor de pediatria no Universidade Estadual de Ohio, adverte, além disso, que é muito possível que o vírus permaneça ativo até maio ou junho, portanto o tratamento preventivo não deve ser abandonado até que o perigo desapareça.

Segundo Ramilo, a bronquiolite é a primeira causa de hospitalização no mundo em crianças menores de um ano e a primeira causa de infecções respiratórias graves nos primeiros anos de vida. O Dr. Raúl Ortiz de Lejarazu, chefe do Serviço de Microbiologia e Imunologia do Hospital de Valladolid, afirma que a porcentagem de crianças que sofrem de bronquiolite dobrou nos últimos sete anos.

Bebês, os mais vulneráveis ​​à bronquiolite

A bronquiolite é uma doença causada por uma infecção viral aguda do trato respiratório, que se inflama e se enche de muco, dificultando a respiração. Ela afeta especialmente bebês e crianças pequenas, especialmente nos dois primeiros anos de vida. Os sintomas mais comuns são tosse, muco, desconforto respiratório (fadiga, chiado ...) e perda de apetite.

A Dra. Enriqueta Román, chefe do Serviço de Pediatria do Hospital Puerta de Hierro, em Madri, explica que os bebês são os mais vulneráveis, especialmente durante os primeiros doze meses, porque nessa idade ainda não desenvolveram as defesas necessárias, e é neste período em que eles têm seu primeiro contato com o vírus.

Embora a doença geralmente seja leve, ela pode ser agravada em alguns pacientes com outras patologias associadas, como bebês prematuros com doença pulmonar ou cardíaca, ou um sistema imunológico enfraquecido. O Dr. Roman adverte que, nesses pacientes, o risco de hospitalização por VSR é dez vezes maior do que o das crianças que nasceram a termo.

Band Cidade - "Doenças respiratórias no inverno" (Setembro 2019).