As vacinas contra a gripe, comercializadas sob os nomes de Chiroflu e Chiromas, e desenvolvidas pela Novartis Italia, foram imobilizadas pela Agência Espanhola de Medicamentos e Produtos de Saúde depois que partículas brancas foram detectadas flutuando dentro das seringas que continham estas drogas.

No entanto, a retirada das vacinas pela Sanidad obedece a medida cautelar, aguardando receber um laudo sobre a causa e as consequências do problema detectado, uma vez que não houve reação adversa a essas medicações, e nenhuma Considera-se necessário fazer qualquer tipo de controle às pessoas que já receberam as vacinas.

A retirada de vacinas por Sanidad obedece a medida cautelar, aguardando receber um relatório sobre a causa e as conseqüências do problema detectado

Essas vacinas contra a gripe, que representam 20% de todas as usadas em nosso país, foram imobilizadas tanto em armazéns como em pontos de distribuição e venda, e a Agência de Medicamentos solicitou às comunidades autônomas que fizessem isso. um acompanhamento da imobilização.

A Novartis já começou a investigar essas partículas para determinar sua origem e composição, embora, de acordo com os primeiros dados obtidos, pareça que é uma substância composta pelas proteínas da própria vacina e não por material do exterior. A empresa farmacêutica também emitiu uma declaração, na qual explica que as partículas podem ser produzidas durante o processo de preparação das vacinas e que elas não influenciam sua segurança e eficácia.

Por outro lado, o Ministério da Saúde está tomando as medidas apropriadas para assegurar que a coordenação entre os serviços de saúde seja mantida e que a campanha de vacinação contra a gripe não seja interrompida em nenhum caso.

A vacina contra febre amarela #InstanteBiotec 60 (Setembro 2019).