Um estudo europeu revela que os jovens que sofrem de acne grave têm entre duas e três vezes mais pensamentos suicidas do que aqueles que não sofrem desta doença de pele, o que diminui a auto-estima, causando isolamento social, ansiedade e depressão.

A acne está relacionada a problemas psicológicos e sociais, que incluem ansiedade e depressão, fobia social e pensamentos suicidas. 80% dos adolescentes têm problemas com acne e, embora na maioria dos casos seja acne moderada, acne grave, que vem desfigurar o sofredor e provoca rejeição social, pode causar depressão e gerar idéias suicidas no paciente.

Isso fica claro a partir dos dados obtidos em um estudo conduzido por pesquisadores noruegueses que entrevistaram quase 4.000 jovens de 18 e 19 anos, 14% dos quais tinham acne grave ou importante. O estudo, publicado no Journal of Investigative Dermatology, revelou que mulheres jovens com acne severa tiveram duas vezes mais pensamentos suicidas do que aquelas sem acne ou com acne leve. No caso de crianças com acne grave, as ideias de suicídio triplicaram as dos jovens sem acne.

Além de idéias suicidas, esses jovens têm outros problemas emocionais e psicológicos, como isolamento social, fracasso escolar e falta de relacionamentos amorosos e sexuais.

Por outro lado, um estudo realizado pelo Instituto Karolinska, da Suécia, e publicado no "British Medical Journal", investigou a possível relação entre a isotretinoína, um tratamento para combater a acne, e o aumento da tentativa de suicídio. para os pacientes que haviam tomado. Eles descobriram que o maior risco de suicídio ocorreu seis meses após o término do tratamento. No entanto, eles não conseguiram demonstrar que o aumento do risco estava relacionado ao tratamento e, segundo os pesquisadores, é mais provável que a acne grave seja responsável pelo aumento do risco de suicídio, razão pela qual a acne já é considerada um fator de risco para o suicídio, independentemente de o paciente tomar ou não medicação para combatê-lo.

A acne é uma doença altamente prevalente que, na Espanha, afeta 8 em cada 10 pessoas, ou seja, 80% dos espanhóis sofrem de acne em algum momento de suas vidas. Estudos realizados em nosso país sobre o impacto desse distúrbio indicam que 44% dos afetados sofrem de ansiedade e 18% de depressão. Além disso, a acne é o culpado de que muitos adolescentes, por vergonha, não deixam suas casas no tempo livre e têm problemas para se tornarem amigos e se relacionarem com o sexo oposto.

O QUE É ACNE? COMO ACABAR COM A ACNE (Setembro 2019).