A Espanha, de acordo com um estudo comparativo europeu do Ministério da Saúde e Consumo, está entre os países europeus com o mais alto grau de automedicação com antibióticos e, como conseqüência, uma maior porcentagem de cepas bacterianas resistentes. O problema surge porque eles também são usados ​​para tratar infecções causadas por vírus, que não exigem ou respondem ao tratamento. 90% do consumo de antibióticos é extra-hospitalar e, deste, 85% é usado para tratar infecções respiratórias, tanto em crianças quanto em adultos que, na maioria dos casos, não necessitam de antibióticos por serem infecções virais.

É importante ressaltar que o tratamento prescrito pelo médico não deve ser interrompido, a menos que apareça uma reação adversa clinicamente significativa, mesmo que o paciente sinta melhora, já que o resistência a antibióticos é mais facilmente gerada se administrada de forma intermitente ou com doses inferiores às terapêuticas.

O profissional de saúde desempenha um papel fundamental no uso responsável e prudente dos antibióticos.

Recomendações para o uso adequado de antibióticos

Quando devem ser tomados antibióticos?

Nem todas as infecções requerem tratamento antibiótico. Resfriados, resfriados e gripes são causados ​​por vírus; eles podem produzir febre alta, mas não melhoram ou evitam o contágio pela administração desses medicamentos.

Resfriados, resfriados e gripes não devem ser tratados com antibióticos.

Os antibióticos são totalmente ineficazes no tratamento de infecções causadas por esses vírus.

O que acontece quando os antibióticos são tomados sem precisar deles?

Que as bactérias se tornem resistentes a elas, isto é, que quando uma infecção é adquirida causada por uma bactéria, a droga não terá mais efeito sobre ela e, portanto, não será capaz de curar a infecção. Como as bactérias podem ser transmitidas de uma pessoa para outra, o uso irresponsável de antibióticos pode aumentar o número e a gravidade das infecções, o que pode ser muito difícil de controlar.

O que acontece se você tomar um antibiótico mais potente do que o necessário?

Infecções bacterianas leves geralmente requerem um antibiótico de baixo espectro (que afeta pequenos grupos de germes), e o uso de antibiótico de amplo espectro é desnecessário e pode representar um perigo, tanto para o próprio paciente quanto para o restante da população, porque facilitará que os germes se tornam resistentes a esses medicamentos. A eficácia desses medicamentos, portanto, não é baseada em se eles são mais poderosos ou mais caros, mas sim que o médico prescreve o indicado para cada tipo de infecção, e suas instruções quanto à dosagem e duração do tratamento são seguidas.

Como os antibióticos devem ser tomados?

Quando o médico prescreve o uso de antibióticos, é essencial seguir todas as instruções referentes ao dosagem e duração do tratamento, respeitando as horas entre as doses. Portanto, um cronograma apropriado deve ser estabelecido para facilitar o cumprimento do tratamento. Assim, se uma dose for prescrita a cada 8 horas, pode começar às 8 da manhã, tomar a próxima dose às 4 da tarde e, a última, às 12 da noite. Se for uma dose diária única, deve ser sempre tomado ao mesmo tempo.

É importante completar o tratamento?

É essencial cumprir o tratamento indicado e não interrompê-lo, mesmo que os sintomas da doença desapareçam (tosse, febre, etc.) sempre que o médico assim o indicar. A resistência das bactérias pode aumentar e a eficácia dos antibióticos diminui, quando são tomadas em doses incorretas ou de forma irregular.

Os antibióticos podem causar efeitos colaterais?

Como qualquer outra droga, os antibióticos também podem causar efeitos colaterais indesejados. Algumas pessoas são alérgicas a esses medicamentos, ou podem desenvolver essa alergia com o tempo. Além disso, o tratamento com antibióticos pode alterar e deteriorar a flora intestinal e vaginal, favorecendo que os microorganismos patogênicos ocupem o lugar daqueles que são benéficos para a saúde, o que acarreta o aparecimento de desconforto estomacal, diarreia ou uma infecção com prurido genital. . Para evitar ou limitar esses sintomas, é aconselhável tomar probióticos.

Por que tomar medicamentos por conta própria é perigoso? | Coluna #82 (Setembro 2019).