A combinação de uma molécula presente no ácido oleico, um dos principais componentes do azeite, e albumina, uma proteína no sangue, tem se mostrado eficaz no tratamento de lesões na coluna vertebral, porque é capaz de reduzir espasmos musculares e dor. A pesquisa revelada por esses dados foi realizada pelo Grupo de Funções Sensíveis ao Motor do Hospital Nacional de Paraplégicos de Toledo, e baseou-se em trabalhos anteriores realizados no Instituto de Neurociências de Castela e Leão da Universidade de Salamanca. , que observou o fator neurotrófico (regula o desenvolvimento de neurônios) que tinha essa molécula quando combinado com albumina.

A nova terapia mostrou sua eficácia no tratamento de lesões da medula espinhal, porque é capaz de reduzir espasmos musculares e dor

O grupo de pesquisadores, liderado pelo Dr. Julian Scott, descobriu que a terapia com azeite de oliva teve vários efeitos positivos em ratos com lesões na medula espinhal. Assim, graças ao fator neurotrófico, essa combinação de moléculas favorece o crescimento dos neurônios afetados pela lesão, o que resulta em uma melhora na mobilidade dos animais. Tem também propriedades anti-inflamatórias, o que contribui para manter a estrutura da medula e, o que é muito importante, age como um analgésico eficaz na medula danificada.

Na opinião de Scott, os resultados do estudo são encorajadores porque podem levar ao desenvolvimento de medicação específico para tratar pessoas com este tipo de lesões. Embora ainda sejam necessários mais testes com camundongos, a molécula de ácido oleico usada na pesquisa já foi aprovada na Europa como uma 'droga órfã', o que acelerará o início de testes clínicos com pacientes, uma vez que tenha sido provado que O produto carece de toxicidade e efeitos colaterais indesejados, e quando recebe o dinheiro necessário (cerca de um milhão de euros), para continuar com o projeto e, assim, verificar a eficácia do produto em seres humanos.

COMO É FEITA A CIRURGIA DE ESCOLIOSE? — Dose de Conhecimento | Medicina é (Setembro 2019).