No último dia 12 de março, Dia Mundial do Glaucoma. Um dia que serviu para nos lembrar que quase meio milhão de espanhóis sofrem de glaucoma, embora metade deles não saiba disso. E o glaucoma é uma condição que não apresenta sintomas, por isso muitas vezes é detectado tarde demais. Esse é provavelmente o maior problema relacionado a essa doença, em que o diagnóstico precoce e o tratamento imediato são fundamentais para o seu controle.

O glaucoma é uma doença neurodegenerativa caracterizada por dano ao nervo óptico secundário, causado, em alta porcentagem, pelo aumento da pressão intra-ocular. A deterioração progressiva das fibras nervosas geralmente leva à perda de campo visual e, nos casos mais graves, à cegueira. De fato, é considerada a segunda causa de cegueira evitável, após o diabetes, e afeta mais de 60 milhões de pessoas no mundo. Apenas na Espanha é estimado que afeta cerca de 2% das pessoas com mais de 40 anos de idade, aumentando o risco de desenvolvê-lo em uma idade mais avançada.

Verifique a sua visão para evitar o glaucoma

"Na grande maioria dos casos, o glaucoma é assintomático até os estágios avançados. Por esta razão, é essencial que pessoas com perfis de risco, como pacientes com histórico familiar, diabéticos, pessoas com alta miopia e pessoas com mais de 50 anos de idade, sejam submetidas a exames oftalmológicos regulares ", diz o Dr. Gema Rebolleda, diretor de Unidade de Glaucoma da Clínica Baviera. Um procedimento de triagem para a detecção do glaucoma é a tonometria sem contato, um teste simples e indolor cuja duração não excede dois minutos, com os quais a pressão intraocular é medida.

"Levando em conta que o dano que ocorre no glaucoma é irreversível, quanto mais cedo o diagnóstico é feito e o tratamento adequado é instituído, melhores são os resultados. Embora não haja cura, podemos desacelerar sua progressão, impedindo a deterioração progressiva do nervo óptico e a perda do campo visual, reduzindo e controlando a pressão intra-ocular ", explica o Dr. Rebolleda.

Fonte: Clínica Baviera

Aplicaciones terapéuticas del cannabis por el Dr. Manuel Guzmán (parte1) (Setembro 2019).