Um droga de recente aparição chamada metoxietamina (MXE), com propriedades anfetamínicas e cujo consumo produz efeitos similares aos do cetamina -Uma substância que é usada em veterinária para anestesiar animais, e que em doses mais baixas provoca experiências alucinatórias em humanos - é tóxica e pode causar morte.

Pesquisadores do Instituto de Pesquisa do Hospital del Mar (IMIM) e da Rede Europeia de Medicamentos Recreativos comprovaram que a metoxetamina, que tem a capacidade de distorcer as percepções visuais e auditivas do indivíduo, e cujos efeitos são mais longos e mais intensos do que de cetamina, é distribuído através da Internet como uma substância legal, embora não seja aprovado para consumo humano.

Os novos compostos - sintetizados em laboratórios clandestinos - são elaborados utilizando outras substâncias que são regulamentadas, a fim de comercializá-las pela Internet, evitando o controle legal

Cientistas alertam que o surgimento de novos compostos - sintetizados em laboratórios clandestinos - é cada vez mais comum, que são feitos usando outras substâncias que são regulamentadas, a fim de comercializá-las através da rede, evitando o controle legal por mais tempo. possível

No caso da metoxetamina, especialistas internacionais alertaram que seu consumo está aumentando, e que sua composição tem sido utilizada em substâncias muito tóxicas, de modo que o vício dessa droga pode desencadear inúmeros efeitos colaterais adversos, como a hipertensão - o que poderia tem como conseqüência uma hemorragia cerebral - ou episódios psicóticos semelhantes aos sofridos por pacientes com esquizofrenia.

O MXE é fácil de obter e é mais barato que a cocaína, então é um consumo típico de fim de semana. Segundo o neurologista Antonio Yusta Izquierdo, do Hospital San Camilo da USP de Madri, os efeitos colaterais dessa droga são irreversíveis, portanto há sequelas, embora a pessoa deixe de consumi-la e, se combinada com o álcool, os sintomas também se intensifiquem.

Filme mostra reação do feto quando a mãe toma água (Setembro 2019).