Os resultados de um estudo realizado pelo Hospital Universitário de Getafe (Madri) revelam que quase um por cento dos adolescentes espanhóis obesidade mórbida eles sofrem de diabetes tipo II, uma incidência que aumentará no futuro porque um em cada dez é pré-diabético. Estes dados foram apresentados pela Dra. Susana Monereo, Chefe da Secção de Endocrinologia e Nutrição do Hospital de Getafe, por ocasião da celebração deste sábado do XIV Dia Nacional da Pessoa Obesa 2009

Segundo os especialistas, os jovens que sofrem de obesidade mórbida acabam desenvolvendo uma doença metabólica, além de sofrerem de problemas cardiovasculares, diabetes e hipertensão, entre outras patologias e, consequentemente, esperança de vida Será reduzido em cerca de 14 anos.

Entre as complicações mais graves associadas ao excesso de peso estão:

  • Fígado gorduroso
  • Hipertensão
  • Alterações de glicose.
  • Aumento no nível de triglicerídeos.

A esses problemas somam-se aqueles relacionados à ansiedade, à discriminação a que essas pessoas são submetidas em razão de seu físico e à baixa autoestima que costumam ter. Na opinião do Dr. Monereo, agora é necessário combater o excesso de calorias com tal energia, como a que nossos ancestrais usaram para combater a fome.

Aproximadamente 80% dos pacientes obesos pré-diabéticos evoluem desfavoravelmente, até chegarem a uma doença que poderia ter sido evitada com perda de peso. Portanto, o diabesidade (obesidade ligada ao diabetes tipo II) aparece cerca de dez anos atrasada em relação ao sobrepeso. Ambas as doenças são sofridas por 20% dos espanhóis com excesso de peso.

Roberto Sabrido, presidente da Agência Espanhola de Segurança Alimentar e Nutricional (AESAN), explica que é necessário evitar o excesso de peso em crianças e jovens, com foco em cantinas escolares e publicidade, e incentivar a prática de atividades físicas nessas idades .

Mude seus hábitos de vida agora ou pode ser tarde de mais (Setembro 2019).