Os especialistas observaram um aumento no número de pacientes afetados por certas doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), que eles consideravam em declínio, como clamídia, infecção por HIV ou sífilis.

O Infecção Sexualmente Transmissível (DST) José Antonio Varela Uría, dermatologista especialista em DST do Hospital Cabueñes de Gijón, alerta para o papilomavírus humano (HPV), também responsável pelo desenvolvimento do câncer do colo do útero.

A Dra. María Luisa Junquera Llaneza, chefe da Unidade de DST do Hospital Monte Naranco, em Oviedo, culpa este aumento na incidência de infecções que são transmitidas através do contato sexual, à falta de prevenção. E, segundo o especialista, a população manteve uma postura bastante responsável para evitar a propagação do HIV, mas, nos últimos anos, relaxou e diminuiu o uso de medidas preventivas, o que não só aumentou o número de casos de HIV. casos de HIV, mas também de outras DSTs.

Especialistas acreditam que não basta informar a população para promover os hábitos que protegem contra a transmissão desse tipo de infecção, mas também, é necessário capacitar adequadamente os profissionais médicos para que eles saibam como administrar os pacientes aqueles que são suspeitos de ter uma IST e, acima de tudo, é necessário criar Unidades ITS em todo o território nacional. Essas unidades são treinadas para seguir os protocolos adequados de ação e é nesse ponto que os pacientes afetados por qualquer uma dessas patologias precisam ir, portanto, é necessário evitar que eles tenham que viajar para outra comunidade autônoma para seguir o tratamento correspondente.

Fonte: Sociedade Espanhola de Médicos de Atenção Básica (SEMERGEN)

Tema de Redação: "A necessidade de se COMBATER o AUMENTO dos casos de DST’s no BRASIL" (Setembro 2019).