Uma epidemia de dengue na cidade de Campo Grande, capital do estado do Mato Grosso do Sul, já afeta mais de 7.600 pessoas, portanto, espera-se que hoje seja ativado um decreto de situação de emergência. cidade, para facilitar as tarefas dos profissionais de saúde.

A área onde o surto de dengue foi desencadeado sofreu fortes chuvas nas últimas semanas, o que favoreceu a reprodução do mosquito Aedes aegypti, principal responsável pela transmissão da doença, que aproveita tanques de água parada para desenvolver seu ciclo de vida.

Chuvas fortes favoreceram a reprodução do mosquitoAedes aegypti ', principal responsável pela transmissão da dengue, que aproveita os tanques de água estagnada para desenvolver seu ciclo de vida

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal, admitiu que a situação é grave e explicou que vão contratar mais agentes de saúde para combater a epidemia, e que também procederão à remoção de entulho e eliminarão a água estagnada as ruas para evitar que os mosquitos se aninhem e se reproduzam.

As autoridades federais confirmaram a morte de duas pessoas por causa da epidemia, e em outra cidade brasileira, Vitória, localizada no estado do Espírito Santo, também houve um aumento no número de pessoas com sintomas de dengue, já que Mais de 1.500 casos foram registrados este mês.

No Paraguai, na área de fronteira com o Mato Grosso do Sul, foram detectados casos suspeitos de dengue - mais de 8.500 - e oito pessoas morreram em decorrência da doença.

Campinas confirma epidemia de dengue tipo 2 (Outubro 2019).