Os cientistas investigam com o objetivo de criar um medicação programável, capaz de penetrar nos tumores cancerígenos e destruí-los, utilizando a dose mínima eficaz, evitando assim danificar os órgãos e tecidos saudáveis ​​do paciente. Uma das principais dificuldades com que se deparam nessa tarefa é a de projetar uma partícula capaz de contornar a ação do sistema imunológico humano e de segregar a quantidade adequada de droga de maneira controlada.

Até agora, as nanopartículas que haviam sido criadas para esse fim não tiveram sucesso em humanos. No entanto, nos Estados Unidos, um grupo de pesquisadores, especialistas em várias disciplinas, conseguiu desenvolver uma nanomedicina, chamada BIND-014, o primeiro de seu tipo programado para tratar tumores sólidos em humanos que comprovaram sua eficácia.

BIND-014 é o primeiro de seu tipo, programado para tratar tumores sólidos em humanos, o que comprovou sua eficácia

Pesquisadores comprovaram que o BIND-014 é capaz de atingir tumores e liberar uma concentração significativa do medicamento anticâncer dentro deles, com maior eficácia e segurança do que o medicamento quimioterápico docetaxel. O Dr. Omid Farokhzad, um dos autores do estudo, explicou que o BIND-014 mostra que é possível criar drogas que podem ser programadas e orientadas para direcionar seus efeitos terapêuticos diretamente sobre o tumor.

A nova droga é a primeira do tipo que foi testada em testes clínicos com seres humanos, e cientistas observaram que seu uso resultou em concentrações de droga no tumor dez vezes maiores do que as obtidas com o tratamento usual, e que em muitos casos, o crescimento dos tumores foi interrompido, mesmo com doses de medicação de apenas 20% do que é geralmente administrado de docetaxel. Além disso, o BIND-014, em doses de até 75 mg / m2, não causou, até o momento, efeitos tóxicos.

Pesquisa da Nasa revolucionará a medicina no mundo, nanotecnologia (Outubro 2019).