As mulheres grávidas saudáveis ​​que realizam exercícios físicos durante a gravidez regularmente têm menos probabilidade de que seu parto seja instrumental ou necessário praticar uma cesariana, de acordo com as conclusões de uma pesquisa realizada na Faculdade de Ciências da Atividade Física e Esportes (INEF) da Universidade Politécnica de Madrid (UPM).

Os pesquisadores do INEF desenvolveram um programa de exercício físico específico para gestantes, que se adaptou às características da gravidez, e consistiu em sessões de 50 a 55 minutos, com frequência de três vezes por semana.

Os exercícios foram desenhados com o objetivo de que as gestantes melhorem sua resistência aeróbica, tonifiquem os músculos e fortaleçam o assoalho pélvico.

Os exercícios foram desenhados com o objetivo de que as mulheres melhorem resistência aeróbica, eles foram capazes de tonificar os músculos das áreas geralmente afetadas durante a gravidez e fortalecer o assoalho pélvico.

Após a primeira consulta de pré-natal, por volta da 10ª semana de gestação, e sempre que o médico considerava que a mulher estava apta para atividade física, iniciou o programa de exercícios supervisionados, que manteve até a semana 38 ou 39 da gestação. .

Os pesquisadores descobriram que a porcentagem de partos instrumentais ou cesariana diminuiu no caso das gestantes que realizaram o programa de exercício físico supervisionado em comparação com as do grupo controle, que permaneceu inativo durante toda a gestação.

PÓS PARTO: O QUE PODE OU NÃO NA QUARENTENA | MACETES DE MÃE (Setembro 2019).