Uma nova cepa da gripe aviária - chamada H7N9 - que apareceu na cidadechina de Xangai e já causou a morte de três afetados, obrigou as autoridades de Xangai a lançar um plano de emergência com o objetivo de detectar outros casos de pessoas suspeitas de terem contraído a doença.

Embora até o momento não haja evidências de que a nova cepa seja transmitida de pessoa para pessoa, e os especialistas não sabem se a vírus sofreu mutação e adquiriu a capacidade de se disseminar entre humanos, ou é a gripe aviária que foi transmitida diretamente do animal para o homem, a Organização Mundial de Saúde (OMS) expressou preocupação e emitiu uma declaração no que afirma que eles estão colaborando com as autoridades locais para controlar a doença e evitar o desencadeamento de epidemia.

Os responsáveis ​​pelos centros médicos, educativos e geriátricos devem informar as autoridades sanitárias se em uma semana detectarem mais de cinco casos de influenza

Há quatro outras vítimas - duas delas em estado crítico - infectadas com o novo vírus, cuja origem e portador são desconhecidas, e contra as quais não há vacina, já que até agora não se considerava que pudesse afetar seres humanos e foi pouco estudado. A prioridade dos cientistas agora é encontrar o reservatório ou fonte animal da doença e observar as mutações genéticas do vírus.

Xangai, com 24 milhões de habitantes, é uma das cidades mais populosas do mundo, o que dá uma idéia das dimensões que poderiam ser alcançadas por uma epidemia causada por uma doença infecciosa grave transmitida entre as pessoas. Entre as medidas de prevenção adotadas pelo governo da cidade, a venda de aves aquáticas vivas foi proibida e foram realizadas inspeções em centros atacadistas de carne e restaurantes. Além disso, os responsáveis ​​pelos centros médicos, educativos e geriátricos devem informar as autoridades de saúde se, em uma semana, detectarem mais de cinco casos de influenza.

Hans Rosling: Let my dataset change your mindset (Setembro 2019).