Mães do mundo, caminho livre para cerveja sem álcool. Não só lhe permite desfrutar de uma palha refrescante sem medo dos efeitos do álcool, mas também é bom para o leite materno. Uma pesquisa realizada pelo grupo de Pediatria da Fundação de Pesquisa do Hospital Universitário Doctor Peset e do Departamento de Pediatria, Obstetrícia e Ginecologia da Universidade de Valência, revelou que incluindo cerveja sem álcool na dieta de mães que amamentam para aumentar a capacidade antioxidante do seu leite em 30 por cento.

O objetivo da pesquisa foi demonstrar que a capacidade antioxidante natural do leite materno poderia ser aumentada pela incorporação de um produto rico em antioxidantes, como a cerveja sem álcool, na dieta habitual das mulheres que amamentam. Com o aumento do poder antioxidante, pretende-se que os bebês que apreciam este tipo de alimento estejam mais protegidos contra o risco de desenvolver doenças cardiovasculares.

Incluindo cerveja sem álcool na dieta de mães que amamentam aumenta a capacidade antioxidante do leite em 30 por cento

Os pesquisadores observaram que quando as mulheres tomavam um suplemento diário de 660 mililitros de cerveja sem álcool, as propriedades antioxidantes do leite eram mantidas e prolongadas, e que nas amostras de sangue e urina elas também tinham um aumento na defesa antioxidante, comparado a mulheres que não tomaram este suplemento. Eles também verificaram que a urina dos bebês alimentados com o leite dessas mulheres tinha um nível menor de moléculas associadas ao estresse oxidativo.

Fonte: EUROPA PRESS

Males da Cerveja para saúde - O que a Cerveja faz no organismo? (Outubro 2019).