Para diagnosticar um câncer de bexiga Os testes a seguir são realizados para distinguir os sintomas de outras patologias do trato urinário e confirmar a presença do tumor:

  • Urinálise: A citologia detecta células sanguíneas e, em alguns casos, também é possível identificar algumas células malignas. É o teste inicial que deve ser feito para posteriormente realizar um estudo mais detalhado.
  • Toque retal ou vaginal para avaliar a consistência da bexiga.
  • Urografia Intravenosa: Ele detecta a grande maioria dos grandes tumores. Este teste é feito geralmente para todos os pacientes que consultam para hematúria (sangue na urina), para detectar o câncer precoce, se esta for a causa.
  • Ultrassonografia do trato urinário: É usado para determinar o tamanho e o grau de invasão do tumor. Atualmente, na presença de hematúria, é a primeira abordagem diagnóstica a ser realizada, com alto índice de confiabilidade na suspeita, quando realizada por radiologistas experientes.
  • Exploração endoscópica (cistoscopia): Isso é feito sob anestesia. Permite ver o aspecto real da lesão e determinar seu tamanho e localização exata. É o teste que permite a biópsia da lesão. Completa-se também com a instilação de um fármaco que adere ao tumor e é visualizado a azul por cistoscopia de fluorescência.
  • CT / MRI: definir o estágio do tumor e verificar se o câncer se espalhou para outras áreas do corpo. Dentro dessas técnicas, o URO-TAC ou a TC podem ser realizados com a urografia sendo mais específica para a detecção e estadiamento do tumor, atualmente considerado o teste de escolha para esse fim.
  • Biópsia: Isso é feito para determinar o tipo de tumor e a agressividade que enfrentamos. Geralmente é feito ao mesmo tempo que a endoscopia, para causar o menor desconforto possível ao paciente.

Quais os sintomas de Câncer de Bexiga? (Outubro 2019).