Você tem alergias? Você tem um smartphone? Bem, você já pode se beneficiar do 'Alerta Polen', um aplicativo pioneiro na Espanha para smartphones - 3G ou telefones celulares com serviços de dados (iPhone, Android, Nokia, Apple) - que informa o paciente sobre os níveis específicos de pólen em quem é alérgico e apenas as províncias que são de interesse.

Não sobra nada, pois, quando os limites de alerta são excedidos, você recebe um alarme no celular que avisa sobre a situação de risco no local onde você está. Desta forma, pode saber se lhe convém limitar a sua estadia no exterior e iniciar o tratamento indicado pelo seu alergologista.

Junho é o mês em que polinizamos as gramíneas, os pólens mais alergênicos e amplamente distribuídos em nosso país. De fato, oito em cada dez pacientes alérgicos na Espanha são sensíveis a esse tipo de pólen. Além disso, coincide com a polinização da oliveira. Portanto, durante todo o mês de junho, a 'AlertaPolen', promovida pela Sociedade Espanhola de Alergologia e Imunologia Clínica (SEAIC), enviará dados atualizados diariamente e semanalmente durante o resto do ano.

Os sintomas respiratórios de pessoas alérgicas dependem diretamente das concentrações atmosféricas. Assim, graças a 'Polen Alert' os pacientes serão informados da quantidade existente de pólen e saberão se o risco que correm de apresentar sintomas de rinite ou asma brônquica é baixo, médio ou alerta ”, afirma. Dr. Feo Brito, coordenador do Comitê de Aerobiologia do SEAIC, lembra que "na rinite e asma devido à alergia ao pólen é muito importante continuar o tratamento de manutenção até a polinização das plantas às quais o paciente é alérgico ". Desta forma, qualifica, "não apenas os sintomas são aliviados, mas a inflamação brônquica é controlada e novos episódios de asma brônquica são evitados".

Uma em cada quatro pessoas é alérgica As doenças alérgicas duplicaram nos últimos 15 anos, afetando 25% da população, ou seja, uma em cada quatro pessoas é alérgica. Isto foi destacado pelo Dr. José M. Olaguibel, presidente da SEAIC e alergista do Serviço de Alergia do Complexo Hospitalar de Navarra. No entanto, "pacientes com alergias ao pólen têm acesso a informações genéricas que não são muito seletivas e precisas, de modo que a nova aplicação permitirá que os afetados planejem suas atividades no exterior e iniciem sua medicação preventiva", ressalta.

O Dr. Olaguibel explica que o aplicativo 'AlertaPolen' inclui todos os pólens alergênicos, com seus nomes científicos e vulgares, para facilitar a informação aos pacientes. A lista é formada por cupresáceas (arizónicas), plátanos de sombra (platanus), plantago (bananeira), gramíneas, azeitonas, quenopodiaceous (salsola), parietaria (urticáceas) e betuláceas (bétula).

Para baixar o aplicativo, links diretos estarão disponíveis em breve no site do Comitê de Aerobiologia (www.polenes.com) e da Sociedade Espanhola de Alergologia e Imunologia Clínica (www.seaic.org).

Fonte: SEAIC / AstraZeneca

LAURINHA FOI PARAR NO HOSPITAL IN REAL LIFE - CRISE DE ALERGIA COM CLUBINHO DA LAURA (Setembro 2019).