Especialistas de todo o mundo se reuniram em Barcelona com o objetivo de projetar uma estratégia de pesquisa destinada a curar diabetes tipo I, que afeta principalmente crianças e adolescentes, usando novas terapias celulares, gênicas e imunológicas.

A diabetes tipo I é uma patologia auto-imune e crônica, que se caracteriza por um funcionamento anormal do pâncreas, que tem como consequência que este órgão não produz insulina, um hormônio que serve para o corpo obter energia dos alimentos.

Philippe Halban, presidente da Fundação Européia para o Estudo do Diabetes, disse que, em cinco anos, você poderia renovar o pâncreas, por exemplo. Agora, o principal objetivo é estabelecer a 'Agenda de Barcelona', que pretende envolver, além de pesquisadores ativos, também jovens, com uma nova perspectiva envolvendo especialistas em terapia celular e genética e imunologia.

Ulf Smith, presidente da Associação Européia para o Estudo do Diabetes, ressaltou que o principal objetivo atualmente é a cura do diabetes tipo I, cujo manejo, baseado na insulina, previne a morte do paciente, mas não a doença. efeitos colaterais graves causados ​​por esta doença, como cegueira, doenças coronárias, "> Insuficiência renal, acidente vascular cerebral, lesões nas extremidades que podem levar a amputações e complicações na gravidez.">

Os especialistas reunidos no evento explicam que a pesquisa tenta melhorar os tratamentos disponíveis, e que também é muito importante encontrar novas terapias alternativas para o diabetes.

Pré-diabetes: Sinal de alerta | Coluna #97 (Outubro 2019).