Especialistas do Sociedade Espanhola de Cardiologia (SEC) alertaram, durante a celebração do Congresso de Doenças Cardiovasculares SEC 2011, que as doenças cardiovasculares (DCV) causam a morte de 8% a mais de mulheres do que homens em nosso país e que são, de fato, a principal causa de morte de mulheres espanholas.

Segundo dados publicados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), em julho deste ano, 65.048 mulheres morreram em 2009, como resultado de doenças cardiovasculares, que foi 7,66% maior que as mortes de homens pela mesma causa.

Este tipo de patologias tem incidência, evolução e prognóstico diferentes, dependendo do sexo dos afetados.

Os especialistas explicam que esse tipo de patologia tem uma incidência, evolução e prognóstico diferentes, dependendo do sexo dos afetados, e que é fundamental levar essas diferenças em consideração para diagnosticar e tratar o paciente corretamente.

No caso das mulheres, a menopausa é um fator de risco adicional, que aumenta as chances de sofrer um distúrbio cardiovascular se também coincidir com outras condições, como hipertensão, diabetes, hipercolesterolemia ou vários distúrbios do metabolismo. Alguns estudos também observaram que, mesmo com os mesmos sintomas, apenas 15% das mulheres são adequadamente controladas, enquanto 56% dos homens são.

Novo estudo

A maioria dos estudos e ensaios clínicos sobre doenças cardiovasculares recrutou homens em uma maioria, e isso dificultou o conhecimento da incidência e das características dessas patologias quando se trata de pacientes do sexo feminino. Por esta razão, a SEC lançou um novo estudo, o SIRENA, que começará em novembro com a participação de 720 mulheres, e que visa estudar a doença cardíaca isquêmica estável na população feminina européia, verificar a prevalência de fatores de risco cardiovascular em mulheres e investigar como diagnosticar e tratar essas patologias quando se trata de pacientes do sexo feminino.

Fonte: EUROPA PRESS

Doenças cardíacas também atingem mulheres (Outubro 2019).