Um estudo conduzido pela Universidade de Cambridge, em Inglaterra, aponta para um novo benefício do aleitamento materno: pode proteger as mães que o praticam do risco de sofrer de Alzheimer.

Os autores da pesquisa também especificaram que as chances de desenvolver a doença de Alzheimer são reduzidas quanto mais longos os períodos em que a mãe amamenta seu bebê.

Os promotores do estudo acreditam que a causa desse fato provavelmente seria que, durante o período em que a mãe amamenta sua Privação de progesterona, um hormônio que faz com que os receptores de estrogênio do cérebro percam sua sensibilidade, o que, de acordo com esses estudiosos, desempenha um papel importante na proteção do cérebro contra o surgimento da doença de Alzheimer.

Por outro lado, como apontado pela Universidade de Cambridge "a doença de Alzheimer é caracterizada por uma resistência à insulina no cérebro", e durante o período de lactação o tolerância à glicose por parte da mãe aumenta-se, pelo que esta poderia ser outra das razões que justificam este benefício atribuído à amamentação.

Autor da Própria Saúde - Café [diabetes, colesterol, AVC, câncer, hepatite, Alzheimer] (Setembro 2019).