Botox ou toxina botulínica, uma substância produzida por bactérias Clostridium botulinum, é geralmente usado para tratar problemas de espasticidade (resistência oferecida por um músculo ou grupo muscular ao seu alongamento), mas, além disso, pode ser usado para combater a 'síndrome da primeira mordida', um distúrbio que causa dor na parótida (duas grandes glândulas salivares, localizadas uma de cada lado do rosto) quando o afetado começa a mastigar.

Durante a celebração, em Madri, do 60º Congresso Nacional da Sociedade Espanhola de Otorrinolaringologia e Patologia Buco-Facial (SEORL-PCF), vários especialistas enfatizaram que o Botox pode ser usado para tratar a 'síndrome da primeira mordida', que é acompanhado por uma dor na glândula parótida, no início da mastigação, produzindo também um excesso de secreção salivar. Graças à toxina botulínica, a produção de saliva na glândula salivar é reduzida, melhorando assim a doença.

A Dra. Nuria Mir, do Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital Esperit Sant, em Barcelona, ​​explicou que o Botox tem vantagens importantes sobre outras técnicas cirúrgicas, graças à sua fácil aplicação, que não é agressiva ao paciente, pois seus efeitos duram seis meses. meses Com essa infiltração, acrescenta o especialista, você pode melhorar a qualidade de vida das pessoas que sofrem com essa condição.

TVC - Paralisia Facial causa, sintomas e tratamento (Setembro 2019).