A presença de substâncias pesticidas na água da torneira pode estar relacionada ao aumento de alergias e intolerâncias alimentares, de acordo com os dados revelados por novas pesquisas publicadas em 'Annals of Allergy, Asthma & Immunology'.

A principal autora do estudo, Elina Jerschow, membro do Colégio Americano de Alergia, Asma e Imunologia, explicou que eles haviam observado que a presença de um alto nível de diclorofenóis - uma substância química que é usada entre outros usos para clorar a água - no O organismo humano pode diminuir a tolerância alimentar de algumas pessoas, fazendo com que sofram de alergias a certos alimentos.

Um alto nível de diclorofenóis - substância química que é usada para clorar a água - no corpo humano pode diminuir a tolerância alimentar, causando alergias a certos alimentos

Os pesquisadores coletaram dados de 10.348 pessoas que participaram da Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição dos Estados Unidos de 2005 a 2006, e incluíram 2.211 em seu estudo que tinham diclorofenóis medidos na urina. Destas, 411 tinham alergia alimentar e outras 1.016 sofriam de alergia ambiental.

Jerschow apontou que a maior prevalência de alergias alimentares poderia estar relacionada ao aumento progressivo do uso de pesticidas e outras substâncias químicas. De fato, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, oferecem dados que revelam que houve um aumento de 18% na alergia alimentar em uma década (entre 1997 e 2007). E eles ressaltam que os principais alérgenos alimentares são leite, amendoim, ovos, trigo, nozes, soja, peixe e marisco.

O diclorofenol também é usado para fazer pesticidas que são usados ​​na agricultura para controlar insetos e o desenvolvimento de ervas daninhas, por isso, mesmo se você optar por consumir água mineral engarrafada, frutas e vegetais também podem conter esse produto químico.

FERRITINA ALTA É UM SINAL INFLAMATÓRIO (Setembro 2019).