Fumar É um dos comportamentos proibidos durante a gravidez, devido às múltiplas consequências negativas que pode ter sobre o feto em desenvolvimento. Agora, um novo estudo descobriu que o tabagismo da mãe durante a gravidez também é um fator de risco pré-natal associado a problemas psicológicos e comportamentais em crianças, incluindo o transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH).

Um grupo de pesquisadores, do Reino Unido, dos Estados Unidos e da Nova Zelândia, analisou a relação entre o fumo da gestante - medido pelo número médio de cigarros que ela fuma todos os dias durante a gravidez - e o futuro problemas de comportamento apresentado pelos filhos dessas mães fumantes.

"Os resultados do estudo mostraram que houve uma associação significativa entre o fumo da mãe durante a gravidez e os distúrbios comportamentais sofridos por seus filhos"

Os resultados do estudo mostraram que houve uma associação significativa entre o tabagismo da mãe durante a gravidez e os distúrbios comportamentais sofridos por seus filhos, tanto crianças que foram criadas por mães geneticamente relacionadas, quanto aquelas que viviam com mães não geneticamente relacionadas.

Os autores do estudo confirmaram esses dados através de amostras de estudo agrupadas em uma metanálise, e explicaram que é improvável que os transtornos comportamentais em crianças possam ser explicados apenas por fatores ambientais pós-natais, como a forma de educar crianças, e que embora o mecanismo causal da relação entre tabagismo durante a gravidez e este tipo de problemas na descendência é desconhecido, podendo incluir fatores genéticos e outros riscos ambientais pré-natais, como é o caso do tabagismo.

Intoxicação e Envenenamento de Cães e Gatos: O Que Fazer? (Setembro 2019).