O Congresso dos Deputados aprovou a Lei de Segurança Alimentar e Nutricional, uma lei que levou meses para ser discutida e que tem causado muitas controvérsias, pois proíbe a venda nas escolas e institui os alimentos e bebidas que têm uma grande conteúdo de ácidos graxos saturados, ácidos graxos trans, açúcar e sal. Ou o que é o mesmo, vetar as máquinas de venda de produtos como doces, refrigerantes açucarados ou padaria industrial.

Com esse padrão, tentamos conter as altas taxas de obesidade infantil em claro crescimento em nosso país, uma vez que estima-se que em torno de 30%.

A lei também se refere aos cardápios que as crianças fazem nas cantinas escolares e indica que eles também devem limitar a proporção de alimentos e bebidas que têm alto teor de açúcares, gorduras trans e sal. Além disso, as escolas devem fornecer aos pais ou responsáveis ​​das crianças informações detalhadas sobre a quantidade de calorias e o tipo de nutrientes fornecidos pelos cardápios, e orientar sobre os alimentos que devem ser tomados pelas crianças no jantar para fazer esta refeição. um complemento adequado e tornar mais fácil para a sua dieta ser equilibrada. A lei também estipula que as pessoas responsáveis ​​pelo controle do cardápio escolar devem ser profissionais credenciados em Nutrição Humana e Dietética.

Fonte: EUROPA PRESS

Frei Betto – Dignidade e Valores Humanos (Setembro 2019).