Nos países desenvolvidos, o dor nas costas afeta mais de 70% da população em algum momento de suas vidas, e os problemas na região lombar são a principal causa da demanda de cuidados de saúde em adultos, causando um custo anual equivalente a 1,7% do Produto Interno Bruto.

Mais de 70% dos custos gerados pela lombalgia também são atribuídos a pacientes crônicos (aqueles que sofrem de dor nas costas há mais de três meses), apesar de representarem menos de 20% do total.

O Dr. Francisco M. Kovacs, presidente da Fundação Kovacs e co-autor do estudo, afirma que a maior parte desses custos se deve à diminuição da atividade dos afetados, especialmente às licenças médicas, o que ressalta a importância de prevenir ou reduzir a incapacidade dos afetados.

Devido à alta prevalência de queixas lombares e suas consequências, um grupo de pesquisadores espanhóis realizou um estudo, recentemente publicado na revista Medicina da dor, para determinar a influência do fatores psicológicos sobre o grau de incapacidade causado por essas patologias. 52 médicos e psicólogos da Fundação Kovacs, várias universidades e 123 pacientes tratados em Unidades de Dor de nove hospitais espanhóis participaram deste estudo.

Pesquisas anteriores constataram que a deficiência gerada pela dor lombar esteve diretamente associada a sentimentos como medo e catastrofismo, ou seja, aqueles pacientes que dramatizaram sua situação sofreram uma dor mais limitante

A Dra. Jenny Moix, principal autora do estudo e professora de psicologia na Universidade Autônoma de Barcelona, ​​explicou que pesquisas anteriores descobriram que a deficiência gerada pela dor nas costas estava diretamente associada a sentimentos como medo e catastrofismo. digamos, que aqueles pacientes que dramatizaram sua situação sofreram uma dor mais limitante.

Em outros estudos, observou-se que, além disso, fatores culturais influenciam fatores psicológicos e, por exemplo, estudos conduzidos com pacientes espanhóis mostraram que alguns desses fatores, como comportamento de evitação, catastrofismo ou mesmo medo, não produziram nenhum efeito relevante sobre eles.

Pesquisas com pacientes espanhóis mostraram que o nível de ansiedade apresentado por esses pacientes é o único fator psicológico relacionado ao grau de incapacidade causado pela dor nas costas. Mas entender esse nível de ansiedade, como explica o professor Moix, é tão ansioso quanto um indivíduo (traço de sua personalidade) e não como uma ansiedade que pode se manifestar em uma situação ou tempo particular.

Dr. Kovacs aponta que, de acordo com os dados obtidos, novos estudos são necessários para verificar se a dor nas costas e a incapacidade resultante "são piores nos pacientes com personalidades mais ansiosas" e se, em caso afirmativo, estabelecer tratamentos direcionados Para reduzir a ansiedade desses pacientes, também melhoraria a dor e a incapacidade que eles sofrem.

Fonte: Fundação Kovacs

⭐️❤️Pontos-chave para detectar a fibromialgia (Setembro 2019).