Um surto de meningite no Chile, que custou a vida de pelo menos sete pessoas, causou um aumento na demanda por vacinas contra essa doença infecciosa. De fato, o governo deste país acaba de lançar uma campanha para vacinar todas as crianças com idade entre 9 meses e 5 anos, que são consideradas o principal grupo de risco.

O ministro chileno da Saúde, Jaime Mañalich, assegurou que já foram adquiridas 1,9 milhões de vacinas contra a variedade de meningite meningocócica W-135 -Responsável por este surto, e que será administrado gratuitamente a crianças que estejam nessa faixa etária.

O governo do Chile lançou uma campanha para vacinar todas as crianças com idade entre 9 meses e 5 anos, considerado o principal grupo de risco

O Chile é um dos países da América Latina - juntamente com Argentina, Brasil e Uruguai - onde a incidência de meningite é maior, mas este surto de meningite bacteriana se destaca por sua agressividade e porque, até agora neste ano, Eles confirmaram 99 casos de pessoas infectadas em todo o país, enquanto entre 2007 e 2011, uma média de 90 casos foram detectados.

Apesar das autoridades de saúde quererem continuar a vacinação a partir de janeiro como medida preventiva, eles acreditam que a população não deve ficar alarmada porque um surto epidêmico de meningite, de acordo com a definição do Centro de Estudos de Doenças nos Estados Unidos, implica que mais dez casos por cem mil habitantes, o que não aconteceu no Chile, apesar do fato de que um aumento no número de casos foi detectado em relação aos outros anos.

Além da profilaxia oferecida pela vacina, os profissionais de saúde têm insistido que outras medidas preventivas efetivas sejam tomadas, como lavar as mãos frequentemente e ventilar casas e outros espaços fechados. Eles também recomendam que os pais estejam alertas e consultem o médico se seus filhos apresentarem sintomas como dor de cabeça e febre alta.

Autoridades de salud descartan epidemia de meningitis por meningococo (Outubro 2019).