O diagnóstico da doença de Alzheimer e o acompanhamento da progressão desta doença poderiam ser mais simples agora, graças a um novo método que consiste em analisar imagens obtidas por ressonância magnética (RMN) usando um algoritmo que permite detectar a presença de este tipo de demência e suas variações com uma eficácia de 75%.

Trata-se de um teste diagnóstico eficaz e não invasivo que também servirá para detectar degeneração lobar frontotemporal, segundo as conclusões de um estudo realizado por uma equipe de pesquisadores da Escola de Medicina Perelman, da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos.

As imagens obtidas por ressonância magnética foram analisadas com um algoritmo, que permitiu predizer o nível de dois biomarcadores da doença de Alzheimer no líquido cefalorraquidiano de pacientes

Para realizar esta pesquisa, que foi publicada em 'Neurology', a revista da Academia Americana de Neurologia, os cientistas usaram imagens de ressonância magnética que os ajudaram a prever o nível de dois biomarcadores de ambas as patologias - proteínas tau e beta totais -amiloide- no líquido cefalorraquidiano dos pacientes analisados.

Usando esse novo método de análise, os pesquisadores conseguiram identificar 75% dos pacientes que haviam sido previamente diagnosticados com a doença; um diagnóstico que também havia sido confirmado pela punção lombar, um teste invasivo que até agora é a maneira mais precisa para determinar as causas da doença de Alzheimer.

Corey McMillan, investigador principal do trabalho, explicou que com o novo método é obtido um valor biológico único que permite um cálculo probabilístico do risco de desenvolver Alzheimer ou degeneração lobar frontotemporal.

A nova técnica diagnóstica, segundo os autores do estudo, também pode ser usada para avaliar a progressão dessas patologias, e é mais custo-efetiva, podendo ser incorporada em ensaios clínicos com pacientes que são feitos para avaliar a eficácia de novas patologias. tratamentos.

Neuro News: Marcapassos e Ressonância Magnética, Alzheimer e Parkinson #10 (Setembro 2019).