Segundo dados de um estudo do Centro Nacional de Pesquisas Oncológicas (CNIO), publicado na revista Anais da Academia Nacional de Ciências (PNAS), os anticorpos que bloqueiam a proteína VEGF, que atualmente são usados ​​como um agente antineoplásico, poderiam ser usados ​​no futuro para tratar a psoríase, uma vez que demonstraram sua capacidade de reduzir os sintomas desta doença de pele, diminuindo a espessura e inflamação da derme.

Para o teste, os cientistas usaram ratos, que mostraram um aumento no VEGF, com formação excessiva de vasos sanguíneos na pele. Eles receberam anti-VEGF, e uma diminuição nos sintomas da psoríase pôde ser observada, mostrando uma pele quase normal, assim como uma redução no número de vasos sanguíneos.

As pesquisadoras Helia B. Schonthaler e Erwin Wagner, do CNIO, explicaram que a pele dos camundongos tinha uma arquitetura epidérmica muito próxima do normal, e um menor número de vasos sanguíneos, que também eram menores. Portanto, a possibilidade de usar anticorpos anti-VEGF como um novo tratamento para pessoas com psoríase.

Esta pesquisa pode ajudar não apenas pacientes com câncer, mas também pessoas que sofrem de psoríase, porque os anticorpos para bloquear o VEGF estão sendo usados ​​para tratar ambos os tipos de doenças.

Psoríase: Tratamento natural pra fazer em casa | Vida & Saúde (Setembro 2019).