Distúrbios da tireóide são subdiagnosticados na Espanha, de acordo com especialistas na área, e entre 25 e 50% das pessoas que sofrem de alguma dessas doenças não sabem.

Isto foi apontado pelo Dr. Lluís Vila, coordenador do grupo de trabalho de Deficiência de iodo e disfunção tireoidiana, na conferência de imprensa inaugural do 53º Congresso da Sociedade Espanhola de Endocrinologia e Nutrição (SEEN), realizada esta semana em Santiago de Compostela.

O Dr. Lluís Vila insistiu na necessidade de aumentar a conscientização na sociedade sobre as conseqüências que esse tipo de patologia pode ter, e durante a Semana Internacional da Tireoide, que aconteceu paralelamente ao congresso, uma tenda foi colocada no local. Paseo de la Alameda Compostelana, para informar sobre a glândula tireóide e sobre o consumo adequado de iodo.

É uma patologia que afeta especialmente mulheres grávidas, e recomenda-se que as mulheres "sejam examinadas antes de engravidarem".

Segundo o Dr. Vila explicou, é uma patologia que afeta principalmente as mulheres grávidas, por isso é recomendado que as mulheres "sejam examinadas antes de engravidarem".

Ele também enfatizou a importância do iodo na nutrição para a função da tireóide. A este respeito, ele ressaltou que nos últimos dez anos tem sido uma "mudança positiva" na população infantil da Galiza, e avançou que eles estão finalizando um estudo, realizado na Espanha, com cerca de 3.000 crianças, o que foi observado que os níveis de iodo entre os mais jovens são "bastante corretos" em comparação com os de uma década atrás. "Houve um salto qualitativo", sentenciou.

Alerta de obesidade na Espanha

Por outro lado, o presidente da comissão organizadora do congresso e professor da Universidade de Santiago, Felipe Casanueva, alertou sobre a gravidade da prevalência da obesidade entre a população espanhola, com uma taxa média de 28%, o que implica oito milhões de pessoas, e que tem uma menor incidência entre os menores de 45 anos e uma maior taxa em pessoas mais velhas.

Casanueva foi convencido de que "em um momento os políticos estarão convencidos de que é uma emergência silenciosa", já que os números são extremamente preocupantes "e alertou que na população infantil a incidência" é muito alta ".

O especialista apontou que a maior taxa de obesidade é apresentada pelos países do Mediterrâneo - entre os quais a Espanha está incluída -, razão pela qual ele defendeu "convencer" a população de que há um "grande problema" e por que as autoridades colocar em prática "planos estruturados para enfrentar o problema".

Nesta linha, o Dr. Casanueva lembrou que a obesidade também contribui para aumentar o número de pacientes com diabetes, patologia que está relacionada à obesidade em 90% dos casos, conforme especificado.

SALUD y BELLEZA: estar guapa y saludable, por Adolfo Pérez Agustí (Setembro 2019).