A prática regular de exercícios físicos de forma regular e supervisionada pode ajudar as pessoas que sofrem de anorexia nervosa a melhorar sua auto-estima e auto-imagem, além de reduzir seus problemas emocionais e facilitar sua adaptação aos tratamentos de feedback.

Estas são as conclusões, pelo menos, de um estudo realizado por cientistas da Universidade Politécnica de Madri, da Universidade Européia e do Hospital Infantil da Universidade Niño Jesús, em Madri.

O exercício excessivo é uma das causas da anorexia nervosa e está relacionado a um pior prognóstico dessa condição. Porém, em estudos anteriores, observou-se que a prática de exercício físico supervisionado produziu benefícios na saúde desses pacientes.

A desnutrição severa que as pessoas com esse distúrbio apresentam causa muitos distúrbios de saúde, incluindo atrofia muscular, que também diminui seu nível de força. Assim, um treinamento para melhorar a força pode ser muito adequado para eles. Principalmente levando-se em consideração que o gasto energético que ela provoca é menor do que o que seria produzido com exercícios aeróbicos, e que um duplo objetivo é alcançado, pois também favorece a densidade da massa óssea.

Pesquisadores realizaram um estudo para testar a eficácia do treinamento de força de baixa intensidade - duas sessões por semana durante três meses - sobre a força muscular, massa corporal e capacidade funcional de um grupo de 22 jovens, cujas idades variavam entre 13 e 15 anos.

O programa de treinamento foi bem tolerado pelos participantes e não teve efeitos negativos sobre sua saúde, nem causou perdas significativas de massa corporal. Além disso, os autores do trabalho indicaram que esse treinamento não alterou a capacidade do paciente em ganhar ou manter peso, o que significa que sua aplicação clínica poderia ser viável.

EUROPA PRESS

I Passed out at Work (Setembro 2019).