Uma nova pílula polivalente foi capaz de reduzir a pressão arterial e os níveis de colesterol LDL em um grupo de 84 pessoas com mais de 50 anos e sem história de doença cardiovascular.

A pílula, que é composta de quatro substâncias - uma estatina e três anti-hipertensivos - reduziu o colesterol em 39% e a pressão arterial em 12% em participantes de um estudo realizado no Reino Unido por pesquisadores do Instituto Wolfson de Medicina Preventiva. a Universidade de Londres, que teve como objetivo verificar a eficácia do medicamento.

A pílula, composta por uma estatina e três drogas anti-hipertensivas, reduziu o colesterol em 39% e a pressão arterial dos participantes do estudo em 12%.

Os autores do estudo explicam que esse tipo de medicamento pode ser administrado à população saudável como medida preventiva para reduzir o risco de doenças cardiovasculares, que atualmente são a principal causa de mortalidade no mundo. Na verdade, o diretor do Instituto Wolfson, Nicholas Wald, afirmou que, se uma droga como essa fosse administrada a metade das pessoas com mais de 50 anos, 94.000 infartos do miocárdio poderiam ser evitados a cada ano no Reino Unido.

Também na Espanha estão estudando as possíveis aplicações de uma pílula semelhante, que neste caso contém um regulador do nível de colesterol, um anti-hipertensivo e aspirina, embora o que os pesquisadores espanhóis buscam seja desenvolver uma droga para prevenir o reaparecimento de uma pílula. evento coronariano em pacientes que já sofreram um episódio desse tipo, ou seja, que a medicação funcionaria como prevenção secundária, enquanto a pílula britânica atuaria como prevenção primária para pessoas que não sofrem de algum distúrbio cardiovascular.

Alguns cientistas, no entanto, mostram suas dúvidas sobre a conveniência de administrar medicamentos a pessoas saudáveis ​​e insistem que o melhor remédio para proteger o coração é adotar um estilo de vida saudável (parar de fumar, seguir uma dieta balanceada e praticar exercícios físicos regularmente), e que os medicamentos não podem substituir bons hábitos na prevenção de doenças.

AAS HIPERTENSÃO?, INFARTO?, AVC?, CUIDADOS!! (Setembro 2019).