Um grupo de cientistas hispano-marroquinos - das universidades de Córdoba e Jaén, na Espanha, e Abdelmalek Essaadi, no Marrocos - desenvolveu um novo método capaz de detectar até 20 medicamentos - antibióticos, anti-sépticos, antiinflamatórios - no leite vaca e cabra, e também no leite materno.

A nova técnica detectará contaminantes antes que o leite entre na cadeia alimentar

O diretor do estudo, Evaristo Ballesteros, explica que analisou 20 amostras de leite de vaca, leite de cabra e várias mulheres que participaram voluntariamente do estudo, utilizando esse novo método, e que conseguiram observar que a concentração de medicamentos varia. De acordo com o tipo de leite, o que contém a maior quantidade de drogas é o leite de vaca integral, especialmente o ácido niflumico, o ácido mefenâmico e o cetoprofeno (que são antiinflamatórios) e o 17-beta-estradiol (um hormônio). O ácido niflumico e a flunixina também foram detectados no leite de cabra, e o leite materno analisado incluiu antiinflamatórios - como naproxeno e ibuprofeno, triclosan - anti-séptico - e certos hormônios.

Embora os dados obtidos com este estudo, publicados em Revista de Química Agrícola e Alimentar, eles são baseados em um pequeno número de amostras e, portanto, não é possível extrapolá-los para o resto do leite, os pesquisadores asseguram que a técnica usada para a análise é muito sensível e precisa e, como a UJA informou em um comunicado de imprensa. , espero que isso facilite a tarefa para os laboratórios que inspecionam a qualidade dos alimentos, e permita que eles identifiquem contaminantes, no leite ou noutros produtos, antes de entrarem na cadeia alimentar. Isso servirá para garantir ao consumidor que o alimento, além de ter boas propriedades organolépticas e ser econômico, é inofensivo e "livre de resíduos tóxicos", disse Ballesteros.

Fonte: EUROPA PRESS

Como fazer a vaca dar leite mesmo sem estar parida (Outubro 2019).