A cada 20 minutos, alguém sofre uma parada cardíaca. Seis das 10 vítimas morrem antes de chegar ao hospital. Algo que poderia ser largamente evitado. O problema? 42% dos afetados não são praticados a ressuscitação antes que eles possam chegar ao local de equipamentos médicos. O acesso rápido a um desfibrilador pode prevenir até 80% das mortes por ataques cardíacos.

Bartolomé Beltrán, diretor médico do Grupo Antena 3, lembrou que "a cada minuto que é atrasado nas manobras de reanimação, as chances de sobrevivência diminuem entre 7 e 10 por cento". No entanto, ele acrescentou, "as chances de sobrevivência são 3 de 4 casos quando se implanta um desfibrilador".

"A cada minuto que se atrasa nas manobras de reanimação as chances de sobrevivência diminuem entre 7 e 10 por cento"

A fim de aumentar a conscientização sobre a importância deste dispositivo e exigir a sua existência em escolas, restaurantes, hotéis e teatros, surgiu a campanha 'Plant face infarction', promovida pelas principais sociedades científicas de cardiologia espanholas e americanas. Além de reivindicar a necessidade de garantir acesso rápido em caso de emergência a esses dispositivos por meio de Áreas Cardioprotegidas, o objetivo também é conscientizar a sociedade sobre a necessidade de levar um estilo de vida cardio-saudável como principal ferramenta de prevenção contra a morte súbita.

Especialistas recomendam iniciar a prevenção desde os primeiros anos de vida através da educação de hábitos saudáveis ​​para o coração e com ênfase especial na alimentação.

Fonte: EUROPA PRESS

Evite o Ataque Cardíaco, saiba como! (Setembro 2019).